Home   /   Agenda  /   Anaquim celebram 10 anos de carreira em Coimbra com convidados
Anaquim celebram 10 anos de carreira em Coimbra com convidados
Ana Bacalhau, Jorge Palma, Luísa Sobral e Viviane são os quatro convidados que marcarão presença no concerto de comemoração dos 10 anos da banda Anaquim, no próximo dia 7 de dezembro, no Convento São Francisco, em Coimbra.
Banda Anaquim - Coimbra

Banda Anaquim

O espectáculo Anaquim | 10 anos contará com a presença especial destes artistas, que ao longo do percurso da banda emprestaram a sua voz a duetos como: “O Meu Coração” com Ana Bacalhau, no álbum de estreia “As Vidas dos Outros”; “Onde Acaba o Oeste?” com Viviane, no disco “Desnecessariamente Complicado”; e “Há Sempre Qualquer Coisa” e “Apontar é Feio (Desapontar-te é Pior)” com Luísa Sobral e Jorge Palma, respectivamente, em “Um Dia Destes”.

Sobre a colaboração com cada um deles, escreve José Rebola em nome dos Anaquim:

Ana Bacalhau:
A colaboração com a Ana foi a primeira, numa altura em que os Anaquim ainda despontavam, e é por isso particularmente especial. Lembro-me da gravação despreocupada, e do imenso contraste com a minha postura rígida ao microfone sempre que o botão vermelho ligava. A Ana dançava de um lado para o outro enquanto o produtor tentava inutilmente que ela não o fizesse. Assim ganharam forma os dois corações da música, corações tão grandes quanto o do Ana.

Viviane:
O que mais me impressiona na voz da Viviane é a sua nitidez, a sua claridade. Quer em disco quer ao vivo, sempre me fascinou todo aquele controlo, mas sem esforço, simplesmente a deixar as coisas fluir. Ganhei coragem, lancei o convite e ele foi simpaticamente aceite. O tema “Onde Acaba o Oeste?” é ainda hoje um dos meus temas favoritos, e a colaboração resultou de uma maneira tão particular que é raríssimo tocarmos o tema sem a sua presença.

Luísa Sobral:
A Luísa tem uma doçura que contagia, quer na voz quer na postura. O convite surge como sequência natural de uma amizade que se foi estabelecendo, entre gostos musicais e não só. “Há Sempre Qualquer Coisa” é o discurso de alguém frágil, mas insistente, perseverante, como se quer que as boas coisas sejam.

Jorge Palma:
“Apontar é Feio” é um tema peculiar, porque já estava feito antes de endereçarmos o convite ao Jorge Palma. Contudo, desde o primeiro ensaio que achámos que a música estava muito dentro do universo Palma, e até brincávamos com isso. A primeira gravação do esboço inicia com o Luisinho a gritar “Wanna be Jorge Palma, take 1″. Mal sabíamos nós que o Jorge viria a ser magnânimo ao ponto de tornar esse Universo uma realidade também para nós.”

Comments

comments

Related Article