Home   /   Novos Discos  /   Já está disponível o novo disco dos Lavoisier
Já está disponível o novo disco dos Lavoisier
Já chegou ao mercado o novo disco dos Lavoisier, a dupla que junta Patrícia Relvas e Roberto Afonso.

“É TEU” apresenta os primeiros originais, com letras e composição criadas da química transformada que é só deles. Um trabalho que conta estórias através de melodias, actos e pensamentos comuns. Por lá encontramos poetas mortos, desconhecidos vários, carnes inalcançáveis e a energia de um objecto com vida própria. O single “Opinião” é a primeira entrada neste universo.

Gravado e misturada por José Fortes, o longa duração terá edição apoiada pela CTL-Festival Silêncio e conta estórias através de melodias, actos e pensamentos comuns.

“Não há um par tão criativo que desenhe diálogos líricos com a mesma mestria. Uma beleza que percorre os coros e a palavra. Os timbres entrelaçam-se como a paixão que põem na verdade da sua música. Se por um lado o dedilhar da guitarra nos transporta para as ruas da tradição da música popular, pelo outro, a dimensão sónica que criam os vários espaços de toda a atmosfera do disco – ámen, José Fortes! -, levam-nos para um universo único da música portuguesa. As guinadas de tempo, as respirações, a intensidade, tudo é original neste discurso. A minha opinião vale o que vale. No entanto, os Lavoisier merecem a nossa atenção, pois vem aí um disco demasiado importante para para que o deixemos passar.” – Joaquim Quadros, Vodafone FM

1. Fauna
2. Estátua
3. Vira
4. Opinião
5. Viajar
6. Laranja
7. Obrigado
8. Romance do Cego
9. Eu não me entendo
10. Sou Povo

Lavoisier sobre “É Teu”

“A forma como hoje em dia se devora informação é vertiginosa. E nessa digestão existirá identidade, existirá a alma do guerreiro que os índios acreditavam possuir, quando decidiam “devorar” o mais valente dos prisioneiros, ou o mais sapiente dos Padres. Daí que uma das maiores referências conceptuais do projecto, seja encontrada no termo Antropofagia (canibalismo cultural) no Brasil em 1920 e mais tarde revisitada pelos tropicalistas nos anos 70.” – Lavoisier

Comments

comments

Related Article