Home   /   Vídeoclip’s  /  Novos Singles  /   “Falem Agora” é o single de estreia da fadista Fábia Rebordão
“Falem Agora” é o single de estreia da fadista Fábia Rebordão

A fadista Fábia Rebordão apresenta-se com o single “Falem Agora”.

Esta canção vem pela janela do fado, mas também descortina outras paragens que não nos são em nada desconhecidas desta Lisboa multicultural. Nesta viagem estival tem a ginga brasileira, o calor africano e o coração da guitarra portuguesa. Mas Fábia não faz esta viagem sozinha. A seu lado tem o produtor/compositor e letrista Jorge Fernando, Hugo Novo e New Max (Expensive Soul), estes últimos também como produtores deste disco de estúdio.

Leia as reações de alguns fadistas e músicos que já ouviram o álbum de estreia de Fábia Rebordão, que irá sair em breve.

REAÇÕES DE OUTROS MÚSICOS:

Mariza: Assistir à evolução de um artista é maravilhoso! Assistir à evolução e crescimento da Fábia foi mágico.
Desde a forma de escrever até ao finalizar da melodia. Este disco é a maior prova disso. De uma artista que sabe o caminho, sem esquecer de onde veio. Mas que sabe com o Coração muito bem quem é e para onde vai. Parabéns, Fábia!

New Max: Este disco é um glorioso encontro entre a Música Popular Portuguesa e a Soul, de uma forma nunca feita antes. À excelência dos grandes compositores da atualidade junta-se a aveludada voz de Fábia Rebordão para nos presentear com 13 canções de antigamente mas com a atualidade de uma nova geração.

Custódio Castelo: Entre a alma e o coração, o sentir profundo de Fábia, a voz que lhe confere o timbre dos sentidos. Da saudade ao futuro, num presente que nos permite uma perfeita viagem…

Rui Veloso: Isto é música de que gosto. Não se admirem de me ver lá no meio um dia destes!

Ana Moura: Este é um disco sobre nós. Abarca-nos e abraça-nos enquanto povo. É um disco com fado, como o belissimamente interpretado. “Fado Laranjeiro”, mas também com tudo o resto que define a nossa matriz musical. Há muito boa música popular portuguesa neste disco, alguma dela com assinatura da própria Fábia. É um regresso. Um regresso da Fábia, que a confirma como uma excelente cantora, e um regresso às nossas melhores raízes. É um disco nosso.

Camané: A Fábia encontrou o seu caminho na música popular portuguesa. Embora não se afirme como um disco de fado, sente-se a presença e influência de Amália no seu lado mais popular. É um suspiro de alegria e emoção.

Virgul: Que privilégio, ter escutado em primeira mão, a maravilha de disco que aí vem! Falo-vos de Fábia Rebordão. Onde a beleza e o talento caminham em uníssono! Fiquei encantado e já o escutei várias vezes, e é sem margem para dúvidas o seu melhor registo. Sente-se a presença do Fado, mas não é um disco de Fado. Consegui Sentir a sua verdade! Fábia para mim, é uma referência e uma das melhores vozes deste tão nosso Portugal. Aprecio imenso a sua voz e a forma como a domina, com um enorme “range” vocal, que a faz brincar e viajar com o seu instrumento, por vários campos harmónicos e géneros bastante ecléticos. As 13 faixas que compõem o álbum escutam-se tão bem, que nos causam a sensação de não querer passar á frente! Gosto muito!

António Zambujo: Quero dar os parabéns à Fábia pelo seu disco novo. Dar os parabéns não só pela voz maravilhosa que ela tem, mas também pela inteligência de se ter juntado com alguns dos melhores fazedores de música que existem por cá. Alguns já consagrados como é o caso do Jorge Fernando, do Rui Veloso, do Pedro da Silva Martins ou do meu homónimo Tozé Brito, outros com grande potencial como é o caso do Dino ou da própria Fabia. Desejo que este disco coloque a Fabia no caminho da consagração. Como ouvinte e seu fã de há muitos anos, ficarei muito feliz. Uma nota final para o trabalho de produção do Jorge que é uma referência e fazedor de grandes sucessos há muitos e muitos anos, e também ao New Max e ao Hugo Novo que partilham os créditos da produção. Que este seja mais um! Grande abraço do vosso admirador e amigo.

Jorge Fernando: Três sensibilidades que se uniram numa produção, para servir uma voz única e ímpar. Pela minha parte, foi um enorme privilégio. Espero que este disco seja ouvido e reconhecido como merece.

 

Related Article