Home   /   Novos Singles  /   Dillaz lança o single “Juvena” [LETRA]
Dillaz lança o single “Juvena” [LETRA]
Dillaz lançou recentemente “Juvena”, novo single que se encontra, atualmente, no primeiro lugar das tendências do Youtube com mais de 280 mil visualizações.

“Juvena” sucede a “Galileu“, lançado no final do ano passado. Ambos os temas farão parte do álbum que o rapper se encontra a preparar.

Dillaz – Juvena [LETRA]

5 macacos bazaram e dez que ficaram
Eu estava na dezena
Rua sagrada família
Seja abençoado o tempo da juvena
Eu era o coitado da escola
Que o ano mudava e a turma era a mesma
Eu era o coitado da escola
Que o ano mudava e a turma era a mesma

Tu dás pioras, mas melhora
Falas muito, mas decoras
Boy a chuva deu o fora
Eu estou distraído a manjar o meu cota
E o barrigão da nora
O homem da farda
Porque é que não se ofende?
Porque é não me prende?
Porque ele me adora
Cara lavada eu não devo a ninguém
Aquilo que eu fumo vem de bora bora

Cada vez que tu espirras
Eu vejo pó
Fica a decorar o meu fá
Tu vais reparar que eu vou mudar para dó
Por não dizer merdas na altura
O meu intestino já fazia nó
Deixa-os a babar e a olhar para cá
Deixa andar o trenó

O brada vinha para estragar a manhã
Então que deus o tenha
Pega a bolsa que eu tenho à cintura
Traz-me um carro da Alemanha
Fica a puxar a brasa para a sardinha
Que eu fico no terreno a rachar a lenha
Onde eu tinha o pé encostado à parede
Tinha o Ismael e tinha o de la penha

Tu sabes que anda cá é cão
Não digas anda cá
Tu estás a cheirar a leitão
Vira a boca para lá
E quantos estavam e quantos estão?
E do que sobra o que será?
Eu estou com a fofa no nevão
A deixar bónus no sofá

Porque é que te mexeste
Tu devias ter saído calado
Porque é que tu nasceste
Não devias ter sido galado

E já na escola eu era surdo e mudo
E nunca via o 10
Uma colega minha na altura engolia tudo
Borrachas, lápis, pionés
O meu perfume cheirava a vanilla
Eu estava na fila para apanhar bonés
Eu estava perdido no meio da cambada
Mesmo sem mãos enrolavam com os pés

Não ‘tá nada mau
Não ‘ta nada mau
Tu bem que tentas ser uma vida louca
Pensas que é com a boca que toca o birimbau
Eu lembro a altura em que criticavas
Porque eu era apenas mais um carapau
No meio das enguias, ninguém me avisava para me por a pau

Então mete a trela a quem te atiça
Põe açaime a quem mordeu
Eu já não oiço, eu dou a missa
1-0 ganho eu
Estás de mão dada com a cobiça
Mas o destino prometeu
Na minha suite uma Suíça
Na tua cama um camafeu

Chupa.

Related Article