Home   /   Novos Discos  /   Cálculo fecha a trilogia de azuis com o álbum “Royale”
Cálculo fecha a trilogia de azuis com o álbum “Royale”

“Royale” é o terceiro disco do rapper Cálculo que vem, de certa forma, fechar a trilogia dos azuis, que começou em 2014 com o “A Zul”, seguiu com “TourQuesa” em 2017 e que se sela agora com este novo álbum.

Sobre o nome do novo disco o rapper de Barcelos conta «Na realeza o poder é transmitido por consanguinidade, o Azul Royal é uma cor que representa esse poder, o “sangue azul”. Mas no caso do meu disco é um oposto disso, é uma contradição a essa “tradição“ o lado A deste álbum representa a superação pessoal a persistência e a conquista dessa “realeza”, no sentido de sermos reis de nós próprios, os temas são mais introspetivos e profundos que contém referências a esta linguagem da “realeza”.

O Lado B é uma espécie de homenagem ao que considero a música “Royale”, é um ingresso para a viagem ás minhas influências. Sempre fui um apaixonado pelo groove, pela musica de dança, house, funk, sempre fizeram parte do ADN da minha música, e o lado B é isso, são batidas e grooves, são menos rimas e mais melodias.

“Royale” conta com colaborações de nomes como Macaia, Mace, Papillon, nastyfactor, Zim ou DJ Kwan.

Cálculo – Boo [LETRA]

[Refrão: Cálculo]
E assim o tempo passa, boo
E eu na minha casa só à espera de ligares
Não sou eu quem disfarça, és tu
Não era isso que querias quando disseste para bazar

[Verso 1: Cálculo]
E assim o tempo fura, boo
Nós a fazer figura para esconder essa fissura
Sempre ouvi dizer que ele cura tudo
Mas não vives à altura de salvar desta rotura
Será falta de frescura, baby?
Será só uma fase escura que não teima em passar?
Quero voltar a essa aventura, baby
Mergulhar nessa loucura e não pensar em voltar

[Refrão: Cálculo]
E assim o tempo passa, boo
E eu na minha casa só à espera de ligares
Não sou eu quem disfarça, és tu
Não era isso que querias quando disseste para bazar

[Verso 2: nastyfactor]
Depois de todas estas vezes que tive dentro de ti
Que te entreti, dás-me ghost sem dizer um motivo
Se calhar não era querido quando vinhas para o meu crib
Mas foi love que eu nutri
Para que não haja equívoco
Que eu horny a subir paredes, homem aranha
E a lembrar como é que a tua pessoa morde e arranha
Quero que o teu gemido soe
Mas tu estás tão estranha
Tipo que não sabes quem eu sou
E qual é o meu desempenho
Baby já não temos idade para brincar a isto
Para estar no toca e foge porque tu és minha
Já pouco toca no meu NOS
Estás-me a deixar triste
Eu quero ouvir a tua voz do outro lado da linha
Se eu sou o teu ponto fraco
Então porque é que te escondes?
Sei o que é que a casa gasta e eu não quero descontos
Eu já só estou a fazer stories
Só para ver se respondes
Porque encaixámos tipo Lego e eu não quero que desmontes
Baby liga-me

[Refrão: Cálculo]
E assim o tempo passa, boo
E eu na minha casa só à espera de ligares
Não sou eu quem disfarça, és tu
Não era isso que querias quando disseste para bazar

Related Article