Home   /   Notícias  /   O teu guia para contornar os bloqueios geográficos de sites de música
O teu guia para contornar os bloqueios geográficos de sites de música

Queres ouvir novamente aquela música que passou no rádio no outro dia, mas com a qualidade de um bom serviço de streaming de música? Para mal dos teus ouvidos, ela está bloqueada no teu país? Descobre neste guia como contornar esta limitação.
A melhor forma de contornar esta limitação é usares uma VPN. Não estás familiarizado com o termo?
Nós explicamos o que é uma VPN ou uma Virtual Private Network. É uma rede simulada e privada que te permitirá dar a volta ao servidor e ao site como se estivesses num país onde o álbum ou a música estão disponíveis.
Mas comecemos do princípio.
Se és um “cibermelómano” a sério, deves ter ouvido falar das mais recentes alterações ao geoblocking, isto é, aos bloqueios geográficos de alguns serviços online, incluindo sites de streaming de música.
Se não estás familiarizado com o termo, significa que, por exemplo, alguns sites poderão estar disponíveis no Brasil, mas bloqueados em Portugal, ou então com sites diferentes dependendo do país e algumas funcionalidades bloqueadas.
No final do ano passado, a EU legislou sobre os bloqueios geográficos na internet, por forma a proteger os cibernautas, metendo o assunto na ordem do dia.
Este ano foi a vez do Governo se associar à causa e tentar combater o geoblocking.
No entanto, muitos defensores da liberdade na internet afirmaram que estes regulamentos não são suficientes para proteger os utilizadores das práticas de bloqueio geográfico.
Neste artigo explicamos-te tudo o que precisas de saber sobre as práticas de geoblocking ao mesmo tempo que te dizemos formas de contornares as suas limitações e acederes a qualquer conteúdo sem nenhumas limitações.

O que é o Geoblocking?

Basicamente é uma forma de limitar conteúdo, oferecer preços diferentes ou bloquear sites e serviços num determinado país ou região.
A utilização mais comum é limitar o acesso dos cibernautas a conteúdo protegido por direitos de autor, seja no Soundcloud, no Spotify ou no Netflix. Se és utilizador premium do Spotify e já viajaste para outros países, deves ter reparado que há álbuns bloqueados em Portugal, que estão disponíveis em Espanha, por exemplo.
Este tipo de bloqueio acontece devido a limitações de copyright, em que um serviço como o Spotify tem os direitos para transmitir temas num país, mas não no outro. Felizmente há formas de contornar estas limitações, que explicaremos a seguir.
Outro uso comum é a variação de preço de acordo com a localização do cibernauta. A maioria das lojas online, tendo em conta os mercados locais e o custo de vida, vende o mesmo item por um preço diferente.
Este tipo de bloqueio geográfico é facilmente contornável através de uma VPN, mesmo virtual. O que é uma VPN virtual? A mais simples é acederes a esse site através de um navegador com uma VPN virtual.
Mas o uso mais grave do geoblocking é quando um governo bloqueia (e censura) sites ou serviços indesejados nesse país. Este tipo de bloqueio é também usado (e bem) para bloquear sites de apostas ou de scams que podem colocar os cibernautas em risco.

As leis da União Europeia chegam para limitar o uso do Geoblocking?

O bloqueio geográfico pode limitar o acesso livre e igual de conteúdo para o mundo inteiro, e a maioria dos consumidores de conteúdo online acha injusto não ter acesso total a todo o conteúdo, ou a ter um preço de compra diferente do país vizinho.
Ainda que a União Europeia tenha boas intenções para proteger os europeus, a legislação em vigor não é, de longe, suficiente para combater este bloqueio.

Como “bloquear” o geoblocking?

Se as leis da EU não são suficientes para fugir aos bloqueios geográficos, então como bloquear o próprio geoblocking? Como já dissemos lá atrás, é utilizar um VPN, mas sabias que o podes fazer não só para serviços de música, mas também para serviços como o Netflix, ou o HBO?
Uma VPN é basicamente um software ou hardware que encripta os dados que o dispositivo onde estás a navegar, dados estes que são enviados para um servidor proxy situado numa localização diferente da tua, onde é decriptada e enviada para a sua localização original.
Desta forma, o “emissor” do conteúdo pensa que estás numa localização onde o serviço ou conteúdo estão disponíveis e voilá, tens acesso.
Um VPN dá-te a flexibilidade de acederes a qualquer site, ou usares qualquer serviço, simplesmente por dizer que estás no mesmo país onde há um servidor disponível. O mesmo se aplica a poderes pagar um preço mais barato por um produto como se estivesses num país onde o produto é mais barato, ao fugires a preços alterados geograficamente.

Related Article